domingo, 5 de abril de 2015

{Resenha} It - A Coisa

Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Número de Páginas: 1.102
Avaliação: 5/5


Sinopse: Durante as férias escolares de 1958, em Derry, pacata cidadezinha do Maine, Bill, Richie, Stan, Mike, Eddie, Ben e Beverly aprenderam o real sentido da amizade, do amor, da confiança e... do medo. O mais profundo e tenebroso medo. Naquele verão, eles enfrentaram pela primeira vez a Coisa, um ser sobrenatural e maligno que deixou terríveis marcas de sangue em Derry.
Quase trinta anos depois, os amigos voltam a se encontrar. Uma nova onda de terror tomou a pequena cidade. Mike Hanlon, o único que permanece em Derry, dá o sinal. Precisam unir forças novamente. A Coisa volta a atacar e eles devem cumprir a promessa selada com sangue que fizeram quando crianças. Só eles têm a chave do enigma. Só eles sabem o que se esconde nas entranhas de Derry. O tempo é curto, mas somente eles podem vencer a Coisa. Em It : A Coisa, clássico de Stephen King em nova edição, os amigos irão até o fim, mesmo que isso signifique ultrapassar os próprios limites.



Visão Geral


A Coisa foi o primeiro livro que li do King, e mesmo assim posso dizer que sou fã desse homem. Por ser um livro bem grande, não imaginei que ficaria tão envolvida na história como fiquei.Eu me apaixonei pelos personagens, especialmente por Ben Hanscon. Esse livro me fez passar noites acordada tremendo de medo, dar grandes risadas e me debulhar em lágrimas no final.


"Era de uma coisa para a qual ele não tinha nome: o cheiro da Coisa, agachada, espreitando e pronta para atacar. Uma criatura que comeria qualquer coisa, mas que estava particularmente faminta por carne de garoto."

O livro conta a historia de sete amigos que, que tiveram o prazer de conhecer a verdadeira amizade, experimentando o medo mais profundo juntos, cada um com seus dramas. Sete crianças, com historias diferentes, que estavam destinadas a ficarem juntas para acabar com o mal que assombrava Derry.


"- Eles flutuam - rosnou a coisa -, eles flutuam, Georgie, e quando você estiver aqui embaixo comigo, também vai flutuar..."

O verão de 58 foi completamente intenso para cada um deles, enfrentar os medos nunca é fácil, mas quando se tem a inocência e imaginação de uma criança nada é impossível, eles derrotaram A Coisa - ou pelo menos assim pensavam. Vinte e sete anos se passaram, cada um seguiu um caminho e se esqueceram do que aconteceu no verão de 58, tudo aquilo havia sido esquecido, do mesmo modo como nos esquecemos dos pesadelos quando acordamos. Tudo ia bem para eles, até receberem um telefonema de um antigo amigo - Mike, o único que havia permanecido em Derry - os lembrando de uma promessa de sangue que haviam feito. A memória foi voltando aos poucos, os horrores que passaram em Derry, o poder da amizade dos sete, porém eles não eram mais crianças, haviam crescido. Não tinham mas a fé de uma criança de 11 anos. 


"Foi só isso; isso foi tudo. Mas eles ficam ali por mais um tempo, sentindo o poder no círculo deles, o corpo fechado que formam." 

Eles voltam a Derry, para encarar a Coisa cara a cara novamente, e mesmo não se lembrando de muitos detalhes, e sabendo que agora as chances seriam ainda menores do que há 27 anos atrás, estão determinados a acabar com a Coisa de uma vez por todas, estão dispostos a matá-la para sempre, mesmo sem terem ideia de como fazer isso.


"Meu coração está com todos eles, e acho que, mesmo se nos esquecermos uns dos outros, vamos lembrar nos sonhos."

Stephen King realmente sabe explorar o medo mais profundo e te fazer dormir de luzes acesas, e ao contrário do que muitos pensam ao ver a capa do livro - inclusive eu inicialmente - é que A Coisa é uma espécie de palhaço assassino, mas não é bem assim, o palhaço é apenas uma das milhares faces da Coisa, no decorrer do livro você entende o quão complexa e intensa a Coisa é. Se você gosta do gênero de terror, precisa ler esse livro, e não se assuste com o tamanho do mesmo, a historia é envolvente até a última página, e quando você perceber já vai estar em lágrimas por não querer que o livro acabe tão rápido.

Leia Ouvindo:


Beijos,
Maria Clara e Ketilin Alves

Um comentário: