sábado, 11 de abril de 2015

{Textos e Afins} Doce Veneno

Olá leitores, 

Hoje é dia de fanfic <3




Doce Veneno 




“Quando nada mais importa, descobrimos o valor que damos a cada coisa, o sentido exato daquela caixa de música ou da lembrança mais remota da infância, que teima em voltar cada vez mais nítida.”

Já havia completado uma semana que Bellatrix havia matado Sirius, e ela não conseguia superar isto, não era para ele ter ido ao ministério junto com a Armada, não era para a maldição ter acertado nele e sim no garoto Potter, mas ele tinha sempre que ser tão teimoso, sempre tão protetor.
Bella estava refugiada na casa dos Malfoy, sua irmã que havia lhe oferecido abrigo já que sua casa estava cercada de aurores. A vida dela tinha se tornado um inferno, havia falhado em sua missão e tinha sido castigada por isso, estava sendo procurada por todos, e tinha matado a única pessoa que dissera que a amava. Ela não negava a ninguém que era uma comensal e que havia cometido todos os crimes dos quais era acusada, e ainda fazia questão de dizer outros dos quais não haviam sido relatados. Se gabar pelo que já fez, pelas pessoas que torturou e matou, sempre fora uma enorme diversão para ela, só que agora nada disso fazia sentido.
As lembranças insistiam em inundar sua mente, por mais que ela tentasse esquecer não conseguia, e todas elas envolviam Sirius, o primeiro beijo e até mesmo quando ela o torturou com a maldição cruciatos. Como ele pode ter sido capaz de amá-la? Como ele teve coragem de dizer isso a ela?

“Eles estavam na torre de astronomia, era o dia da formatura do sétimo ano, o último dia deles no enorme castelo, e ambos sabiam que essa poderia ser a última vez que se veriam, pelo menos a sós.
Bella iria se casar, virar uma comensal, tudo o que sempre sonhou.
Sirius abandonaria sua casa, iria morar com James, e entraria de vez para a Ordem da Fênix.
– Não se case com Rodolfo, Bella, esqueça tudo, nossa família, o lord... esqueça tudo e fuja comigo, você sabe que quer isso tanto quanto eu quero. – disse Sirius. Ela sabia que ele tinha razão, tudo o que ela mais queria era fugir com ele, serem felizes, esquecer tudo.
Mas não podia, estava tudo pronto, iria se casar dentro de um mês e viraria uma comensal, viraria uma Lestrange dentro de um mês. Bellatrix Black Lestrange, esse nome soava bem em seus ouvidos.
– Sirius você sabe que eu não posso
– Eu te amo Bella – quando essas palavras saíram dos lábios do rapaz, ela ficou estática, como ele poderia amá-la, depois de tudo que ela já tinha feito a ele, tinha sido a primeira vez que alguém dissera aquelas palavras a ela, e o pior de tudo é que ela sentia o mesmo em relação ao rapaz, sim ela o amava. Ah, seria tão mais fácil se ele não fosse um traidor de sangue, se ele não tivesse escolhido o outro lado da guerra.
– Eu também te amo Sirius, sempre amei e sempre vou amar – ela respondeu com lágrimas nos olhos e o rapaz esboçou um pequeno sorriso nos lábios. – e é por esse motivo que eu tenho que fazer isso – dizendo isso à menina pegou a varinha e apontou para Sirius que a olhou assustado – Obliviate – ela sussurrou.”

Essa pode ter sido a pior escolha que Bellatrix tenha feito, mas pelo menos ele não sofreria por ela, ele nunca se lembraria do que sentiu pela prima, a vida dele fora mais feliz assim. Mas em compensação ela sempre sofrera por ele, Sirius sempre fora seu veneno, seu doce veneno.

Um grande beijo
Maria Clara e Ketilin Alves 
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário